quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Novas tecnologias e velhas metodologias: o ensino de Geografia a partir das TICs


As tendências para adoção de novas tecnologias afim de melhorar o processo de ensino-aprendizagem, tem cada vez mais se firmado na educação brasileira, principalmente nas instituições particulares e ainda com muitas restrições nas públicas. Todavia observa-se que muitas dessas vezes por mais que sejam inseridas novas tecnologias para auxiliar nas aulas, muitos dos professores ainda não estão preparados para utilizar estas como propostas otimizadoras, de modo que por vezes estes recursos acabam dificultando ainda mais o êxito na inferência do processo supracitado.
Desta maneira observo a necessidade e a carência que o professor em formação tem ao não possuir disciplinas obrigatórias que o auxiliem no uso destas, de modo que ao ter que lidar com as "novas" tecnologias, o professor acaba utilizando os mesmos recursos didáticos e não consegue otimizar suas aulas devido ao fato de não "dominar" a tecnologia utilizada como recurso. O que observa-se então é uma problema na metodologia aplicada ao uso destas ferramentas, que necessitam de transformações em suas metodologias para serem (re)pensadas a partir das novas dinâmicas e velocidade de fluxos que estas ferramentas são capazes de proporcionar.
No que tange ao ensino através das redes, nosso grupo separou no site ciberaula geográfica alguns exercícios, jogos e conteúdos de fixação para o ensino fundamental e médio de modo que selecionamos links de diversas páginas para que através das redes de fluxos de informação os alunos tenham fontes para consulta, exercício e fixação a partir de novas propostas como jogos didáticos e os professores visualizem novas possibilidades a partir das novas tecnologias.
Ao observar este quadro em meu cotidiano enquanto professor em formação, penso que não seja uma necessidade para essa nova leva de professores, mas sim uma contingências a qual deveria estar em processo contínuo de construção, preparando assim o professor para as tendências que a lógica capitalista tem imposto para a educação neste novo milênio.
Referendando este pequeno diálogo, convidamos a todos para que enviem propostas metodológicas a partir do uso de "novas" tecnologias a fim de que possamos integrar estes a nossa página e compartilhar de forma "livre" o conhecimento através das plataformas digitais. Colabore, comente, construa.  "Ninguém educa ninguém, ninguém se educa sozinho, os homens se educam em comunhão". Paulo Freire.

Um comentário:

Allan Medeiros disse...

http://geoprocessamento.forumeiros.com/ - dá uma conferida, vou inclusive apresentar na UERJ sem muros, é uma ideia de debate de trocas só que online (também) além da sala de aula outra possibilidade de busca de informações e trocas entre os próprios alunos, professor e monitores.