quarta-feira, 6 de abril de 2011

Cibercultura popular brasileira: Entre redes sociais e arte!


O cotidiano do povo brasileiro mudou, as novas tecnologias se tornaram "lugar comum" nas ruas, e o reflexo disso pode ser observado de maneira intrigante no cotidiano da população. Desta maneira iniciando uma breve análise dos quadros das redes sociais, posso afirmar que estas constituem uma rede relacional virtual/real que transforma a linguagem, a velocidade dos fluxos de informações e por que não dizer, da capacidade de compreensão dos sujeitos a partir da observação, experimentação e participação de forma direta e indireta nas redes, compreensão esta que se dá a partir da intensa troca de fluxos que a Rede propicia. Deste modo existe uma nova forma de se (re)pensar o espaço, de modo o qual vivenciamos uma outra maneira de se relacionar na sociedade, e as redes sociais aproximam e afastam os sujeitos em um cotidiano "frenético", o qual reflete nos sentimentos e sensações por afetos que se ligam através das redes por representações de valores no cotidiano dos sujeitos.
Estes valores implicam em diversas formas de se (re)pensar e (re)produzir o espaço social, o ciberespaço se apresenta então enquanto "categoria" do espaço vivido o qual através das redes sociais, que se entrelaçam no ciberespaço, tendo papel de servir como representação de um espaço real, instantâneo e atemporal, no que tange a perspectiva das novas tecnologias. Enquanto isto, este é capaz de permitir uma (re)construção de afetos, que são experimentados a partir da troca de fluxos no virtual/real enquanto representação, que possibilita uma experimentação dessas redes relacionais de forma a objetivar a relação dos sujeitos no espaço puramente real, tornando relevante a (des)construção e reconhecimento de conceitos e categorias geográficas dentro do ciberespaço.
Sendo assim podemos enumerar algumas delas como as redes, territórios ou até mesmo fronteiras que se delimitam e se dissolvem instantaneamente, (des)construindo limitações e alternâncias na arquitetura das redes, sendo estas mutáveis e contantes. E arte tem se aproveitado dessa grande funcionalidade que as redes oferecem e cada vez mais artistas colocam suas obras em sites, principalmente músicos que também oferecem a compra de suas músicas no formato mp3. para download e bandas que ainda não possuem verba para se alavancar utilizam como alternativa de menor custo para publicar e divulgar suas músicas, muitos dizem que internet está democratizando a comunicação, mas isso já vai ser um papo para uma outra postagem, no mais deixo a questão para que possamos refletir, até onde as redes digitais são democráticas e até que ponto influenciam nosso cotidiano?

Nenhum comentário: